Notícias da Região | Fronteira

Quinta-feira, 21 de Outubro de 2021

Receita Federal registra novo recorde diário no tráfego de caminhões

A Receita Federal do Brasil registrou um novo recorde diário no processamento de caminhões na Ponte Internacional da Amizade-PIA: 1.594 veículos de carga, que transitaram pela Aduana na última terça-feira, 19/10. Destes, 792 entraram no Brasil, sendo 495 de importação e 297 caminhões vazios. Já a saída de caminhões do país alcançou 802 unidades, sendo 499 de exportação e 303 caminhões vazios. Esta é a segunda vez no mês que se quebram recordes de fluxo, já que no dia 08/10 havia sido estabelecido o novo recorde histórico, quando 1.529 caminhões realizaram a travessia pela fronteira.

De 01 a 20 de outubro deste ano, 19.645 caminhões já atravessaram a fronteira entre o Brasil e o Paraguai, movimento 25% maior do que o registrado no mesmo período, em outubro de 2020, quando 15.781 caminhões atravessaram a fronteira. Vale lembrar que outubro de 2020 é o mês que até o momento detém a marca de maior movimentação mensal de caminhões pela Aduana da PIA, quando se registrou o fluxo de 25.992 caminhões. Pelos números apresentados em 2021, projeta-se um novo marco histórico mensal para este mês.

 O intenso fluxo de caminhões na fronteira, entretanto, foi alcançado ao mesmo tempo em que se reduziram os transtornos aos turistas e aos trabalhadores que desejavam cruzar pela Ponte. Isso foi possível porque a Receita Federal tem trabalhado de forma integrada com todos os setores envolvidos, de forma a destravar o fluxo de caminhões, fazendo com que também se reduzam as filas para os demais interessados no cruze da PIA. 

Desde o ano passado a Receita Federal, capitaneando o trabalho integrado já citado, aumentou o número de vagas de veículos no Porto Seco de Foz do Iguaçu, ampliou o horário de funcionamento do scanner, estendeu os horários de trabalho nas aduanas, distribuiu de forma mais eficiente o fluxo de caminhões em lastre e carregados, entre outras medidas. Além disso e fruto deste trabalho, apesar do expressivo crescimento da movimentação de cargas, conseguiu-se diminuir o tempo médio de permanência dos veículos que adentram o Porto Seco de Foz do Iguaçu. Atualmente, os veículos permanecem, em média, um período 11% menor quando comparado ao período pré-pandemia. Isso tornou o fluxo de mercadorias mais dinâmico, possibilitando que o Porto Seco de Foz do Iguaçu, o maior da América Latina no quesito movimentação de cargas, tenha desempenhado seu papel de maneira ágil e eficiente.

Assessoria

Clique aqui e participe do grupo de WhatsApp do Jornal Correio do Lago