Internacionais | Mundo

Sábado, 16 de Janeiro de 2021

Pfizer reduz entrega de vacinas contra Covid à Europa e ao Canadá

A farmacêutica americana Pfizer avisou nesta sexta-feira (15) que vai reduzir temporariamente a entrega de suas vacinas contra a Covid-19 em toda a Europa, "a partir da próxima semana", para aumentar sua capacidade de produção para dois bilhões de doses por ano.

Porta-voz da Pfizer Dinamarca, Line Fedders afirmou que a ampliação na produção em sua fábrica em Puurs, na Bélgica, “pressupõe a adaptação das instalações e processos da fábrica, o que requer novos testes de qualidade e aprovações de autoridades."

“Como consequência, menos doses estarão disponíveis para os países europeus no final de janeiro e início de fevereiro”, disse a porta-voz em comunicado enviado à agência de notícias Associated Press. “Esta redução temporária afetará todos os países europeus”.

A fábrica da empresa na Bélgica fornece todas as doses da vacina contra a Covid-19 entregues fora dos Estados Unidos, incluindo o Canadá -- que afirmou que também foi afetado.

O país recebeu 380 mil doses da vacina até agora e deveria receber outras 400 mil ainda neste mês e quase dois milhões de doses em fevereiro.

A empresa afirma que conseguirá entregar quatro milhões de doses até o fim de março, mas a ministra de compras canadense, Anita Anand, disse nesta sexta que a quantidade não está mais garantida.

A Comissão Europeia fechou os acordos da União Europeia com a Pfizer em nome de todos os 27 países do bloco. O contrato prevê até 600 milhões de doses da vacina, que é produzida em parceria com a BioNTech, da Alemanha.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, disse ter ligado "imediatamente" para o CEO da Pfizer: "Ele me garantiu que todas as doses garantidas do primeiro trimestre serão entregues no primeiro trimestre. Ele está pessoalmente encarregado de reduzir o período de atraso".

Reclamações dos países

O Ministério da Saúde da Alemanha afirmou que recebeu o anúncio inesperado da Comissão Europeia "com pesar". "Os governos federal e estadual esperam que a Comissão da UE forneça clareza e certeza o mais rápido possível das negociações com a Pfizer sobre futuras entregas e datas de entrega".

Autoridades dinamarquesas expressaram preocupação com a medida. "Estamos em uma corrida contra o coronavírus e a nova variante do vírus mais contagiosa", afirmou o ministro da Saúde do país, Magnus Heunicke. "Portanto, levamos muito a sério o declínio nas entregas".

G1