Brasil | Famoso

Domingo, 15 de Setembro de 2019

Músico Roberto Leal morre aos 67 anos

O cantor Roberto Leal morreu na manhã deste domingo (15) aos 67 anos. A informação foi confirmada pelo antigo secretário de Estado das Comunidades e da Administração Local de Portugal, José Cesário. O cantor lutava contra um câncer de pele.

O artista estava internado desde o dia 11 no Hospital Samaritano para se recuperar de uma reação alérgica. A causa da morte ainda não foi divulgada, mas a assessoria de imprensa da rede médica confirmou a morte dele.

Em seu perfil no Facebook, Cesário escreveu: "Hoje acordamos com um enorme choque. O nosso amigo, grande Português no Brasil e no Mundo, António Joaquim Fernandes, o grande Roberto Leal, acabou de falecer. A tristeza é enorme! Portugal e o Brasil estão de luto. Até sempre, Amigo"

Segundo o jornal português Diário de Notícias, há dois anos ele descobriu que estava com câncer e tinha perdido a visão de um olho.

Quem foi Roberto Leal?

Roberto nasceu em Portugal, mas se mudou com a família para o Brasil, em 1962, quando ele ainda tinha 11 anos. Em São Paulo, trabalhou como vendedor de doces e sapateiro antes de começar a cantar fados e músicas românticas.

Em suas canções, tinha o hábito de misturar ritmos de seu país de origem aos brasileiros, além de gravar estilos exclusivos do Brasil, como carimbó e forró. Além de intérprete, era compositor da maioria de suas canções. 

Outro sucesso de Roberto Leal é "A Festa Ainda Pode Ser Bonita". Em 1995, o grupo musical Mamonas Assassinas lançou a música "Vira-Vira", em referência a "Arrebita", e foi a segunda música mais tocada no país naquele ano, e se tornou uma espécie de hino da banda.

Ele se apresentava como embaixador da cultura portuguesa no Brasil devido ao seu sucesso. O cantor vendeu 17 milhões de discos e recebeu cerca de 30 discos de ouro.

Torcedor ilustre da Portuguesa, Leal foi um dos autores do novo hino do clube e, em 2015, ajudou o time, que vive uma prolongada crise financeira, a conseguir um novo patrocinador.

No ano passado, ele se candidatou ao cargo de deputado estadual por São Paulo, recebeu 8.273 votos, mas não foi eleito.

O Tempo/Estadão