Brasil | Minas Gerais

Segunda-feira, 02 de Dezembro de 2019

Moradores de Brumadinho fazem ato contra fim do auxílio emergencial da Vale

Moradores de Brumadinho, na Região Metropolitana, fazem um protesto nesta segunda-feira (2) na entrada da cidade. O motivo do ato é a restrição dos valores pagos pela Vale como auxílio emergencial anunciado na semana passada.

Durante este ano, moradores de Brumadinho e atingidos pela tragédia da Vale num raio de um quilômetro ao longo do Rio Paraopeba receberam o auxílio. Em acordo firmado na última semana, ficou definido que o auxílio continuará a ser pago de forma integral a moradores dos bairros do Córrego do Feijão, Parque da Cachoeira, Alberto Flores, Cantagalo, Pires e nas margens do Córrego Ferro-Carvão. Quem vive em outras áreas, mas participa de algum programa de apoio, também vai continuar recebendo o valor total do auxílio.

A medida gerou insatisfação dos demais atingidos que passam a não receber o auxílio a partir de janeiro.

Reivindicações

Os moradores pedem a manutenção do auxílio emergencial de 100% para toda população de Brumadinho sem distinção de localidade e sem data de término ou até reparação total do município;

    Assessoria técnica nas comunidades;

    Psicólogos e psiquiatras nas comunidades;

    Transparência da Prefeitura com todo dinheiro investido em Brumadinho. Sejam repasse da Vale, governo estadual e federal;

    Prestação de contas sobre o dinheiro das doações em contas bancária da prefeitura da época do rompimento da barragem;

    Representação das comunidades atingidas em espaço de debate e negociação junto as instituições de Justiça e Vale;

    Reunião com mineradoras para melhorias na comunidade do Tejuco.

    Que a pauta dos agricultores seja atendida;

    Indenização justa para os moradores da Ponte dos Almorremas e contra partida para comunidades.

G1