Esporte | Combate

Quinta-feira, 14 de Março de 2019

McCann acha Pedrita impossível de nocautear e crê que duelo pode ser a luta da noite no UFC Londres

Tanto Molly McCann quanto Priscila Pedrita estrearam com derrota no UFC. Resultados que frustraram ambas as lutadoras e que fazem com que o confronto das duas em Londres, o segundo do card preliminar no sábado, não esteja muito em evidência nos holofotes. Mas a atleta inglesa vê o duelo da categoria peso-mosca (até 56,7kg) muito equilibrado e com potencial para faturar um dos bônus do evento.

- Acho que Priscila é a minha versão brasileira. Somos iguais como lutadoras, mostramos coração, não desistimos, gostamos de finalizar. Quando as pessoas me perguntam o que eu acho da Priscila eu digo que mal posso esperar para lutar contra ela porque vai ser uma guerra. Pode ser a luta da noite. Ninguém vai recuar. Vamos continuar para frente e uma das duas vai vencer.

Apesar de adotar um tom muito respeitoso ao falar da adversária, McCann acredita que poderá deixar o octógono vitoriosa em pouco tempo. Especialista na trocação, a inglesa treinou muito jiu-jítsu para equilibrar suas habilidades em diferentes técnicas. Quer ter o maior número possível de recursos porque considera Pedrita uma rival impossível de nocautear.

- Quero encerrar no primeiro round, seja por finalização ou por nocaute técnico. Eu não acho que consiga nocautear a Priscila porque ela é a “menina zumbi”, não é nocauteável. Mas ela é lenta e potente e eu sou rápida e forte, e para cada soco que ela der eu posso revidar. Minha variedade de golpes é maior que a dela. Falta ver como ela vai responder a isso e se eu consigo chegar até o final.

Aos 28 anos, McCann tem nove lutas como profissional no MMA, com sete vitórias e duas derrotas. A estreia e o revés no Ultimate foram em maio do ano passado, diante de Gillian Robertson. Na ocasião, a canadense a finalizou com um mata-leão no segundo round. Para a o evento deste sábado, no entanto, a inglesa se vê muito melhor preparada.

- Quando assinei com o UFC tive cinco semanas para perder 15,9kg, e minha performance foi péssima porque eu estava cansada. Eu e Priscila perdemos nossas últimas lutas da mesma forma, e foram nossas piores derrotas e da mesma forma, então acho que estamos no mesmo caminho. Tive 15 semanas para ficar pronta para cá. A cabeça, corpo e alma trabalham como um só. Agora só tenho 1,3kg para perder. É ótimo, não tem estresse. Mal posso esperar para lutar.

O Combate transmite o UFC Londres no próximo sábado, às 14h (de Brasília) ao vivo, na íntegra e com exclusividade. O SporTV 3 transmite a primeira luta do evento; o Combate.com transmite as duas primeiras lutas em vídeo e acompanha todo o torneio em Tempo Real.

COMBATE

COMPARTILHE

COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário

* Ao enviar o comentário você aceita os termos de uso do site.