Variedades | Foi trolado!

Quinta-feira, 11 de Julho de 2019

Coisas que você aprendeu na escola que não são tão verdade

Quando somos crianças, geralmente acreditamos em qualquer coisa que falam para nós, principalmente quando os adultos costumam confirmar isso. Mas na verdade devemos nos aprofundar mais, e não acreditarmos em tudo o que lemos ou ouvimos. Abaixo há alguns fatos que não são tão conclusivos quanto acreditamos que fossem.

1 – Ao contrário do que você pode ter aprendido na escola, não há um “mapa de sabores” em sua língua

De acordo com estudos da Universidade da Flórida, isso é um mito. Tudo começou quando as descobertas de um cientista alemão foram publicadas em um artigo em 1901. Seu estudo incluiu um gráfico que deturpou sua pesquisa, gerando engano nas pessoas. O tipo de gráfico fez parecer que a língua humana tinha seu próprio “mapa de gostos” e as pessoas o entenderam literalmente, então por anos, todos acreditavam que isso era verdade. Na realidade, nossa língua consegue sentir todos os gostos em qualquer parte dela.

2 – Ao todo, cerca de 200 pessoas foram acusadas de serem bruxas, mas ao contrário da crença popular, as mulheres não foram queimadas na fogueira

Na verdade, em 1692, quando aconteceu o assassinato de algumas mulheres acusadas de serem bruxas, a maioria foi enforcada. Além disso, as mulheres não foram as únicas acusadas de bruxaria. Durante os julgamentos, 5 homens foram executados.

3 – Cérebro direito e cérebro esquerdo foram inventados para categorizar personalidades diferentes

Na verdade, não existem estudos que provem com certeza que existem áreas mais ativas no cérebro de pessoas que são criativas e artísticas versus aquelas que preferem matemática e ciências. Cada parte do cérebro tem um propósito diferente, e isso é fácil de observar em pacientes que sofreram um derrame ou sofreram uma lesão cerebral traumática.

4 – Nos ensinaram que o Brontossauro não era realmente um dinossauro. Durante anos, ele foi considerado erroneamente como um Apatossauro. Mas tudo isso mudou em 2015

Por mais de 100 anos, o Brontossauro não era realmente considerado um dinossauro. Em 1879, o paleontólogo Othniel Charles Marsh classificou-o como Apatossauro porque compartilhava algumas similaridades com outro espécie que ele havia encontrado dois anos antes. Mas em 2015, um estudo descobriu que os dois fósseis eram inerentemente diferentes. Então agora sabemos que o Brontossauro é sim um dinossauro.

5 – Sólido, líquido e gasoso não são os únicos estados da matéria

Em algumas regiões da nossa atmosfera é possível encontrar um quarto estado, comumente conhecido como plasma. Ele consiste em partículas altamente carregadas de energia cinética.

6 – O sistema solar pode ter 8 ou 13 planetas depois que os cientistas rebaixaram alguns planetas e os reclassificaram

Nos anos 90, os cientistas rebaixaram Plutão de ser um planeta para ser conhecido como um Objeto do Cinturão de Kuiper. Algum tempo antes, outro corpo anteriormente conhecido como planeta, foi reclassificado como parte de um cinturão de asteroides. Em 2006, os cientistas atribuíram a Ceres e Plutão a categoria de “planetas anões”. Que confusão!

7 – Não conhecemos todos os planetas do nosso sistema solar

A NASA afirma que existem mais 3 planetas anões orbitando o sol e que existem potencialmente centenas de outros planetas e corpos que não foram identificados. O planeta X, por exemplo, ainda confunde os cientistas. Eles acreditam que ele pode ser tão grande quanto Netuno.

8 – A água do banheiro não flui para o outro lado no hemisfério sul

9 – Nós não usamos apenas 10% dos nossos cérebros. Existem atividades por todo o cérebro

Ao contrário do que algumas pessoas pensam, 90% do nosso tecido cerebral não existe por nenhuma razão. Nós até usamos nosso cérebro quando estamos descansando, não é mesmo?

10 – Napoleão Bonaparte não era tão baixinho

Napoleão tinha 1,69m. Quando ele faleceu, foi medido por algumas pessoas que estavam presentes, e houve um erro por causa da diferença entre os sistemas de medição francês e britânico.

11 – Ao contrário do que aprendemos, as unhas e o cabelo não continuam a crescer após a morte

Algumas horas depois de uma pessoa morrer, a pele do cadáver seca, o que significa que a pele se retrai na ponta dos dedos. Isso cria um efeito visual que faz parecer que as unhas são mais longas. Como a pele facial dos homens também fica desidratada, a barba parece ter ficado mais comprida. Mas se não houver sangue circulando, não haverá células para produzir cabelo e tecido das unhas.

12 – Você não levará 7 anos para digerir chiclete

Embora não seja saudável engolir chicletes, caso você faça isso, levará cerca de uma semana para digeri-lo, de acordo com o gastroenterologista David Milov, que encontrou alguns chicletes enquanto realizava endoscopias.

13 – Cristóvão Colombo não “descobriu” a América

De fato, as tribos nativas americanas já viviam ali há 15.000 anos. Colombo nem sequer foi o primeiro europeu a pisar na América. 500 anos antes dele, o explorador viking Leif Erikson já havia explorado essas terras.

14 – O tato, o olfato, a visão, o paladar e a audição não são os únicos sentidos que uma pessoa tem

Propriocepção, também chamada de cinestesia, é a capacidade de reconhecer a localização espacial do corpo, sua posição, a força exercida pelos músculos e a posição de cada parte do corpo em relação às demais, sem utilizar a visão.

15 – O sangue não fica azul quando falta oxigênio

Suas veias podem parecer azuis por fora, mas isso é apenas um efeito visual devido à maneira como o tecido distorce a luz. O sangue é sempre vermelho, com oxigênio ou não.

16 – Os neandertais podem ter sido tão espertos quanto nós

Pesquisadores descobriram evidências de que os neandertais conseguiram fazer jóias, pinturas e ferramentas artesanais, por exemplo.

Tudo Interessante