Notícias da Região | Diamante do Oeste

Terça-feira, 14 de Novembro de 2017

Associação comunitária emite Nota de Esclarecimento

A associação comunitária do Assentamento Ander Rodolfo Henrique, de Diamante do Oeste, juntamente com as famílias assentadas, vem a público relatar os fatos que estão acorrendo nos espaços coletivos da comunidade.

Desde a última quinta-feira, dia 09, foram trazidos para a casa da comunidade pessoas estranhas, oriundas de um acampamento situada em são Miguel do Iguaçu, coordenado pelo senhor Nildemar Gonçalves da Silva e do próprio Assentamento senhor Adão Soares da Silva e Adriano Silva.

Estas pessoas tem a clara missão de intimidar e amedrontar as famílias de bem que aqui vivem, pois estes mesmos procedimentos já ocorreram em outros locais. As famílias estão muito preocupadas porque as pessoas que estão contra este grupo, estão sendo ameaçadas de serem retiradas de seus lotes.

Por esse motivo as famílias estão se organizando para defender tanto o espaço comunitário, quanto seus próprios espaços.

No dia 13, segunda-feira, o Assentamento foi informado que estariam se deslocando deste acampamento citado acima, um grupo maior de pessoas para dar apoio aos que estão na casa da comunidade.

A preocupação existe por se tratar de um grupo violento, que não visa a luta pela terra e sim outros procedimentos ilícitos. Desta forma a paz que prosperava no assentamento vem sendo fortemente ameaçada.

Por isso pedimos encarecidamente que as autoridades competentes possam nos apoiar, bem como a sociedade. Que possam expressar suas indignações contra esses tipos de atitudes orquestradas para interesses opressivos e desumanos. Este tipo de atitudes não são aceitos pelo MST, o qual vem sofrendo várias pressões externas de interesses particulares nos centros comunitários dos assentamentos, acabando com toda sua organicidade construída coletivamente.


Casa que funciona como sede comunitária do assentamento

COMPARTILHE

COMENTÁRIOS

Diamantense - 14.11.2017 - 23:311
Não podemos deixar que as famílias que já estão assentadas e produzindo sejam ameaçadas por quem só quer a desordem. Esperamos que se resolva o mais breve possível.
leu - 14.11.2017 - 22:132
que complicado,que nossas autoridades possam verificar essa situaçao e a comunidade se unir
Tati - 14.11.2017 - 17:503
Verdade. Nossas famílias estão todas com medo

Deixe seu comentário

* Ao enviar o comentário você aceita os termos de uso do site.