Notícias da Região | Santa Helena

Segunda-feira, 29 de Junho de 2020

A grande família de Santa Helena tem nova integrante! Conheça Emanueli, uma adoção especial

Coração de mãe sempre cabe mais um. Esta frase célere, define a vida de Karla Fabrícia Aparecida Soares, que passou a ser mãe de 12 filhos após a recente chegada de Emanueli, uma garotinha de dois anos e sete meses que se transformou no xodó da casa.

Anteriormente ela e o marido Jusefei Soares Fuhr, já haviam adotados outras 10 crianças e, mesmo assim, mantiveram-se ativos no Cadastro Nacional de Adoção - CNA por onde conheceram a "Manu". Karla possui um filho biológico.

A garotinha tem paralisia cerebral e estava acolhida no abrigo municipal de uma pequena cidade próxima a Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul e, em razão da Pandemia do Coronavírus, a prefeitura implantou um projeto semelhante ao Família Acolhedora que vigora em Santa Helena e conseguiu encaminhar as crianças para os lares das famílias inscritas, mas Emanueli permaneceu lá.

Diante disso, o Juiz da Comarca de Três Lagoas entendeu que o melhor destino para ela seria uma adoção responsável e a cadastrou no CNA, que acionou Karla e Jusefei. A mãe foi a primeira a gostar da ideia e manifestou o interesse ao pai que não assimilou a ideia momentaneamente, mas teve seu coração tocado por aquela criança e logo em seguida, concordou com a adoção: "Somos muito cristãos e entendo que cada um tem uma missão aqui na terra, tive meus momentos de reflexão e logo entendi que Deus queria mais esse gesto de nossa parte, não fizemos isso por impulso", afirma.

A viagem

Decidido, o casal partiu de carro até aquele município acompanhado de uma das filhas mais velhas e também outra criança autista, deixando o restante da família sob a guarda temporária de uma cuidadora. "A mais velha para nos ajudar e também o outro que necessita de cuidados especiais", disse Karla.

Chegando lá, foram até o abrigo conhecer a Manu pessoalmente e, após a superação da burocracia documental, se tornaram os novos pais da criança. Na hora da saída, Karla conta que houve muita emoção entre os funcionários da casa: "Ela sempre foi muito bem cuidada e vimos que aquelas pessoas tinham adquirido um sentimento muito forte por ela, houve lágrimas, mas sobretudo a certeza de que ela continuaria em boas mãos"

Paralisia Cerebral

Segundo registros, a mãe de Emanueli tinha apenas 15 anos quando ela nasceu e morava em uma fazenda distante da cidade juntamente com o pai que é boiadeiro. Em determinado momento, a bolsa se rompeu e uma ambulância foi acionada, porém o que todos menos esperavam, era que este veículo quebrasse a caminho do hospital e foi justamente o que aconteceu.

Com a demora, o bebê teve falta de oxigênio no cérebro o que se agravou para a paralisia cerebral. Não se sabe ao certo o que levou os pais a negligenciarem a criança, mas esta é uma parte da história que pode ser esquecida.

Cuidados

Em razão da doença, Manu alimenta-se através de uma sonda instalada em seu abdômen e necessita de um leite especial cuja lata custa R$180,00. Além disso, requer a administração de medicamentos contínuos e outros cuidados indispensáveis. 

A criança também possui estrabismo, ainda não fala e também não anda, mas sorri e possuiu emoções que encantam a todos que a conhecem: "Chamamos ela de Estrelinha de Luz e todos da casa são apaixonados por ela, Manu emana um brilho nos olhos que pode ser considerado um sorriso, isso nos encanta e nos faz acreditar que a vida pode estar presente de diversas formas" afirma a mãe, Karla.

Ajuda

Se você leu até aqui, com certeza deve estar comovido assim como nós no dia em que efetuamos a gravação, porém acreditamos que apenas comoção não é o suficiente então, que tal ajudar?

Felizmente a família conta com toda assistência médica e social necessárias, desde medicamentos, itens para curativos, sessões de fisioterapia, e se tudo der certo, brevemente também o leite, através da prefeitura de Santa Helena, via determinação judicial. Os pais não recebem nenhum auxílio do governo e mantêm-se da aposentadoria de Karla e o salário de professor de Jusefei.

Porém uma família com 14 pessoas requer muitos itens de uso rotineiro, como por exemplo, alimentos, vestuário e também dinheiro para manutenção geral. 

"As pessoas que se sentirem tocadas e quiserem nos ajudar, aceitamos de bom coração, é tudo em prol das nossas crianças", assegura o pai. A mãe completa: "Nós somos cientes de nossas responsabilidades, mas quem quiser ajudar, agradecemos de coração".

Sempre que recebe doações em dinheiro, a família apresenta as notas fiscais de onde o recurso foi aplicado.

Dados Bancários
Banco do Brasil
Karla Fabricia Aparecida Soares
Agência 2577-1
C/C 19838-2 
CPF 880.509.209-68
Contato da Família (45) 99926-2587

Fonte: Xeretando

Veja também:
Adoção especial: menina com paralisia cerebral é adotada em Três Lagoas

“Não é fardo, é amor”, diz pai que adotou menina com deficiência - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS


Os outros 11 filhos do casal Leite especial

COMENTÁRIOS

Luiza - 29.06.2020 - 21:171
Todo mundo rasga elogios... Lindo é, nobre é, mas TB é muito difícil. Por isso quem comenta elogiando deveria tentar ajudar de alguma forma. Que tal uma doação? Uma latinha do leite especial que a pequena usa, que tal ? Estamos em tempo de resiliência, de solidariedade e ajuda ao próximo. Bora ajudar? Quem vai ser o primeiro a doar alguma coisa pra essa família?
verdades - 29.06.2020 - 13:002
o amor está no coração e não em perfeição...belas almas esses novos pais tem.. exemplo de humanidade .amor .doação....família é união....respeitando todos entre si..que o nosso Senhor Deus ilumine sempre os seus caminhos com bênção..vitórias..e muitas alegrias...
Eu - 29.06.2020 - 12:033
Essa mulher é muito corajosa e guerreira conheço a família eu tiro o chapéu pra vc e seu marido pois tenho certeza que fazem por AMOR
Leitor - 29.06.2020 - 11:134
tão de parabéns

Deixe seu comentário

* Ao enviar o comentário você aceita os termos de uso do site.